O que são metodologias de ensino e como funcionam?

03-3-164

Geralmente quando falamos em escolha de escola uma das perguntas que vem à tona é “Qual a metodologia de ensino da escola?”. Essa pergunta é realmente muito importante, mas para que ela seja realmente útil precisamos saber interpretar a resposta.

Para isso, bolamos um pequeno manual com uma breve explicação de alguns métodos utilizados hoje no Brasil. Antes de ler o manual é preciso levar em conta algumas considerações.

O Me põe na História, não usa uma metodologia em específico. Ao invés disso, usamos uma abordagem de ensino que é o CONSTRUTIVISMO (vamos falar dela também aqui) isso porque achamos que quase todas as metodologias têm muitas coisas positivas e que cada aluno aprende de forma diferente. Então, buscamos o que cada método tem de melhor para contribuir para a aprendizagem das nossas crianças sem excluir nenhuma alternativa.

Então, vamos lá!

Método tradicional:

Algumas características:

– O professor centraliza e dissemina o conhecimento.

– Avaliações padronizadas para toda turma.

– Foco na quantidade de conteúdo apresentado.

Pontos positivos:

– É um dos métodos de ensino mais antigos, por isso vários professores sentem-se mais à vontade utilizando-o.

Pontos negativos:

– O aluno tem um papel passivo no aprendizado, sendo apenas o receptor do conteúdo detido pelo professor. Na maior parte das vezes tendo que memorizar conhecimentos sem sequer entendê-los.

-O método tradicional desconsidera as diferenças entre as crianças e a forma como elas aprendem. O intuito é a padronização. Desta forma, as reais habilidades e potencialidades do aluno, a criatividade e a expressão acabam sendo desconsideradas e o ensino torna-se excludente, uma vez que dificilmente toda a turma se encaixará nos mesmos parâmetros.

Exemplos de atividades do método tradicional: caderno de ortografia, cobrir letras pontilhadas, designar espaços ‘’corretos’’ para a colagem de determinados materiais.

Método Montessoriano

Algumas características:

-Desenvolvido pela italiana Maria Montessori.

-A criança é o centro do aprendizado. Tendo autonomia para fazer escolhas sobre o que deseja aprender. O adulto é apenas mediador neste processo.

-O aprendizado acontece de forma concreta e prática.

Pontos positivos:

-Como as atividades são voltadas ao desenvolvimento no ritmo da criança de forma que ela siga seus interesses, a criança sente-se feliz e motivada em aprender.

-A autonomia dada a criança, também a ajuda a adquirir responsabilidade e independência.

Pontos negativos:

-O trabalho Montessoriano é extremamente individualizado o que é ótimo por um lado, pois a criança tem uma atenção especial do professor, mas que não favorece a socialização e a aprendizagem de convívio e negociação de sentidos com outras crianças.

– Como a metodologia prega que a criança deve aprender o que a interessa, as crianças que selecionam os materiais que irão utilizar. A criança que não se interessar por letras, por exemplo, irá selecionar outros materiais para trabalhar e conhecer e poderá demorar bastante para ser alfabetizada.

Exemplos de atividades Montessorianas: Contornar letras de lixa com o dedo; verter líquidos de um recipiente para outro, montar torres, organizar blocos de madeira a conforme imagem.

 

Metodologia Waldorf

Algumas características:

– Criado pela Alemão Rudolf Steiner.

-Segue uma linha de ensino naturalista.

-Considera que a ação, o pensamento e o sentimento são integrados com atividades corporais e artísticas.

Pontos positivos:

– Enxerga o aluno como um ser complexo e que deve ser desenvolvido de forma integral. Desta forma, favorece um equilíbrio entre os aspectos cognitivos e o desenvolvimento de habilidades artísticas, movimentação e dramatização, que não está presente em algumas outras metodologias.

Pontos negativos:

– A metodologia é bem extremista com relação à negatividade do uso de tecnologia no aprendizado. São contra brinquedos industrializados, televisão, computadores. Considerando que estamos no século XXI e temos toda esta tecnologia disponível, aprender a lidar com esta tecnologia e ponderar os momentos de usá-la são habilidades importantes a serem ensinadas à nossas crianças.

Exemplos de atividades: brincadeiras com objetos de materiais orgânicos, dramatização de atividades do dia-a-dia.

Construtivismo

Algumas características:

-A abordagem é baseada nas pesquisas de Paulo Freire e Emilia Ferrero.

– O aluno constrói o conhecimento, daí o nome construtivismo. O professor é mediador do aprendizado.

-Por ser uma abordagem, não existem métodos específicos de se trabalhar o construtivismo. A pergunta que o educador precisa sempre fazer é: “A criança está sendo ativa, autônoma e agente na aquisição da aprendizagem?’

Pontos positivos:

– Tendo uma abordagem construtivista, podemos nos utilizar de tudo de melhor que todos os métodos têm a oferecer, afinal, o que importa para o construtivismo é o que é o mais importante dentro da educação: que a criança se desenvolva através de suas próprias experiências, colocando a mão na massa, entendendo e não memorizando.

-Instiga a curiosidade da criança. Já que o conhecimento não vem pronto, ela precisa descobrir o que são as coisas e como funcionam.

-Desenvolve a criatividade e pensamento crítico ao levar a criança a avaliar e buscar possibilidades e soluções para resolver problemas do dia-a-dia.

Pontos Negativos:

-Por não haver uma cartilha para o educador seguir, se ele não entender a abordagem ele pode não conseguir desenvolver as atividades dentro do que é proposto.

Exemplos de atividades construtivistas: Grafismo livre, contornar letras de lixa com o dedo; verter líquidos de um recipiente para outro, montar torres, brincadeiras que envolvam descoberta e curiosidade, dramatização de atividades do dia-a-dia.

 

Conforme foi dito anteriormente, aqui no MPNH, a nossa abordagem norteadora é o Construtivismo, e acreditamos que uma instituição, justamente pelas particularidades de cada indivíduo, não precisa necessariamente ater-se a um único método de ensino. Dito isso, partimos do pressuposto que existe a necessidade de englobar um pouquinho de cada método para que assim seja possível tornar o conhecimento acessível a toda e qualquer criança.

Educar é isso! Um mar de possibilidades!

 

Priscila Dutra,

Coordenadora de Projetos MPNH- Asa Norte

Clique aqui para mais dicas de como escolher uma escola para seu filho.